Home Facebook Relato de Parto O Blog Na Mídia Loja Selinhos

sexta-feira, 30 de julho de 2010

1º Mês

Garimpando na internet encontrei uma matéria muito legal sobre o desenvolvimento do Bebê no primeiro mês e quis compartilhar com vocês. Agora que a parte mais difícil passou vamos saber o que vem pela frente? O texto original é de Selma Buff.

Peso: o peso médio ao nascer está em torno de 3 Kg. Nos primeiros dias de vida pode haver uma perda de até 10% de peso do nascimento, que se recupera até o 10º dia de vida. Existe um cálculo simplificado para você saber se o seu bebê está com ganho adequado de peso:

- 1º trimestre de vida: o bebê ganha em torno de 25 a 30 gramas/dia, o que corresponde a aproximadamente 900 g/mês. Considerando a última pesagem que foi com 1 mês e 1 semana, Arthur ganhou cerca de 50 gramas/dia!
-2º trimestre: 20 g/dia ou aproximadamente 600g/mês.
-3º trimestre: 15 g/dia ou aproximadamente 450 g/mês.
-4º trimestre: 10 g/dia ou aproximadamente 300 g/mês.

Estatura: a média de altura ao nascimento é de 50 cm. No 1º semestre o bebê cresce cerca de 15 cm, e no 2º semestre cresce em torno de 10 cm. Ou seja, com 1 aninho esperamos que o bebê tenha aproximadamente 75 cm. Entre 1 e 3 anos a criança cresce em média 10 cm/ano. Até o momento ele cresceu 3cm – ontagem com 1 mês e 1 semana.

Gostaria de ressaltar apenas que bebês não são compêndios de matemática e existem diferenças no crescimento e desenvolvimento de acordo com o tipo constitucional familiar. Os cálculos acima norteiam, porém não são estanques e em caso de dúvida converse com seu pediatra.

Desenvolvimento visual - no recém nascido, os movimentos dos olhos são desordenados e, podem ocorrer momentos de estrabismo até o 6º mês de vida. Outra curiosidade que a maioria dos pais tem é em relação à cor dos olhos, que se define em torno do 6º mês de vida.

Para estimular o desenvolvimento - colocar móbiles grandes, coloridos e de fácil higienização no berço. Converse carinhosamente com o bebê, acalente-o com canções e músicas suaves e calmas.

Em relação ao desenvolvimento global de seu filho, é muito importante fazer um acompanhamento médico preventivo (puericultura) mensal.

 Veja alguns cuidados importantes que seu bebê precisa:

-Alimentação - aleitamento materno exclusivo. Consulte seu médico na impossibilidade absoluta de amamentar.  Estamos com aleitamento materno exclusivo, sem problemas, ele mama por cerca de 10, 15 minutos e tem tido ganho peso normalmente.

-Vacinação - BCG (contra a tuberculose) e hepatite B OK Tomou as vacinas e não teve reações!

-Vitaminas - vitamina A e D em gotas, que deverá ser prescrita a partir do 15º dia de vida pelo pediatra, e deverá ser administrada até pelo menos 1 ano de vida. Ad-til 2 gts ao dia.

-Cuidados ambientais preventivos- quarto arejado, proibir a circulação de animais no ambiente em que o bebê estiver; evitar bichinhos de pelúcia e tapetes/carpetes felpudos, pois, por mais que sejam limpos e higienizados, podem desencadear quadros de alergia respiratória. Por enquanto os cachorros não tem contato direto com ele, conheceram-o mas não ficam próximos pois se sujam com facilidade e eu não tenho tempo de me dedicar a eles como eud everia, minha atenção está voltada ao Arthur. E outra, quanto menos lugares eu tiver para limpar, melhor!

-Doenças mais comuns - dermatites de calor e dermatites de fraldas. Ele teve as benditas brotoejas de calor mas estão sumindo sozinhas.

Selma Buff é pediatra, membro da Sociedade Brasileira de Pediatria. Atualmente é assessora técnica do Programa de Saúde da Família (PSF), da Secretaria de Saúde do Município de São Paulo, de onde também foi diretora técnica/administrativa de unidades básicas de saúde e do ambulatório de especialidades.


O Primeiro Ano: Mês 01


Levantando a cabeça: Os músculos do pescoço do neném estão ficando cada vez mais fortes e já no primei
ro mês de vida ele consegue segurar a cabeça por alguns segundos. Ele também pode levantar um pouco a cabeça quando estiver deitado de bruços e até poderá virar a cabeça de um lado para o outro.
Explorando seu corpo: Ao nascer, o seu neném não fazia a menor idéia de que esses braços e pernas pertenciam à ele. Agora tudo está mudando e ele está percebendo e explorando as partes de seu corpinho. Primeiro, ele vai descobrir as mãos e os pés.

Olha quem está falando: O seu neném de um mês de idade pode "conversar" agora. É muito bonito de ver como o bebê desde tão cedo fica "falando" alguma coisa em seu cantinho. Converse com ele também. Alguns bebês começam também a rir e a dar gargalhadas. Mesmo se você estiver ocupada com alguma tarefa de casa, ele vai apreciar se ainda puder ouvir a sua voz. Mesmo que o neném podia reconhecer sua mãe desde os primeiros dias, ao final do primeiro mês de vida, ele também poderá demonstrar isso.
Mais da metade dos bebês dessa idade podem demonstrar que reconhecem seus pais. Eles agem diferente com a mãe ou o pai do que com estranhos. Alguns podem até sorrir ao ver seus pais.

 Ouvindo e gostando de música: Enquanto o seu bebê estiver acordado, você pode usar esse tempo também para estimular o seu sentido para músicas. Você pode cantar para ele ou colocar músicas infantis ou suaves para ele que não é exigente e gostará de quase qualquer música que tocar. Ele também estará prestando atenção à ruídos como do vento ou do tic-tac de um relógio. Ele está descobrindo o mundo e à cada novidade é um impacto diferente. Inevitavelmente, você o verá reagindo melhor a alguns sons do que à outros, é normal, ele está desenvolvendo seus sentidos e aos poucos vai construindo também, suas preferências.

Seguindo objetos com seus olhos: Assim que o neném aprender a focalizar com ambos os olhos, ele vai também conseguir seguir um objeto em movimento. Você pode estimular essa nova habilidade da seguinte forma: chegue seu rosto perto do dele e faça contato olho-no-olho, aos poucos vá movendo sua cabeça para um lado e deixe ele seguir, mova devagar novamente para o outro lado. Quando ele já estiver bom nesse exercício, faça o mesmo com um objeto, de preferência, colorido. Faça o exercício de um lado ao outro e depois tente também mover em quatro direções, como um cruz. Seguir um objeto de cima para baixo é mais difícil e ele provavelmente alcançará essa habilidade por volta do terceiro mês de vida.

O meu bebê está desenvolvendo normalmente? Lembre-se, cada bebê é único e tem o seu próprio rítmo de desenvolvimento. Essas são apenas informações generalizadas e, se o seu bebê ainda não desenvolveu tais habilidades, ele vai desenvolver em breve. Se o seu filho nasceu prematuro, ele precisará de um pouco mais de tempo antes de alcançar as mesmas habilidades que uma criança com a mesma idade cronológica. É por isso que crianças nascidas prematuramente recebem de seus pediatras duas idades - uma cronologica( calculada em sua data de nascimento) e uma idade de ajustamento (calculada na data em que ele deveria nascer).

Por enquanto o segredo é só curtir seu crescimento e descobrir junto com ele este mundo novo que nos cerca! Estou cada diz mais feliz com seus progressos e, principalmente, com minha nova vida: a vida de mãe!


quarta-feira, 28 de julho de 2010

Nota rápida – Novidades

Olá pessoal! Hoje resolvi aproveitar todos os momentos livres para mexer no Blog e consegui! Mudei o Layout e aproveitei para instalar alguns Plugins que facilitarão muito a forma como uso o Blog. Mudei também o endereço do Blog e o nome, agora é http://www.danisallesdesign.com/mamikeka mas não se preocupe pois o domínio eu já redirecionei. Se você quiser receber as atualizações por e-mail, basta se cadastrar no menu ao lado, sempre que eu atualizar você receberá um e-mail e assim ficará por dentro de tudo o que acontece por aqui!

Outra novidade é que agora posso responder aos comentários diretamente no blog e a pessoa que comentou receberá um e-mail com a minha resposta! Bem legal né? E também você poderá compartilhar todo o conteúdo do blog nas principais redes sociais com apenas um clique! Basta escolher onde quer compartilhar e pronto!

Em relação ao Arthur queria fazer um resuminho e algumas considerações em relação aos comentários que recebi no último post que foram de grande valia! Como sempre né!

- Sobre as mamadas: Decidi esvaziar o seio como havia fazendo anteriormente, tive que optar por algo e desistir de seguir outra orientação, optei por esta e acho que está sendo bom para nós. Estamos com amamentação exclusiva mas tenho tirado leite com a bombinha para estocar, estou congelando, hoje consegui tirar 100ml e achei o máximo pois era tão difícil tirar no começo, basta ter paciência e calma que dá certo!

- Seios: Continuo usando as conchas de amamentação e me sentindo a Madonna com elas (rs) e também o bico de silicone para ajudar, é mais porque ele está acostumado mas quando tiro ele nem percebe e mama normalmente, deixo para que ele sugue bem e assim o bico se forme aí o restante do tempo ele mama normal sem o bico de silicone mesmo.

- Horários das mamadas: Estamos na média de 2h e meia a 3hs. Mama durante 10 ou 15 minutos e fica satisfeito; Não consigo fazer a Mamada dos Sonhos mas gosto de amamentar às 3 da manhã e sempre foi assim, creio que ainda não seja um hábito mas vou persistir pois sei que a partir da semana 7 de vida já posso tentar que ele fique sem mamar de madrugada, vou contando pra vocês tá?

- Rotina EASY: Como o próprio livro “fala”, não tenho horas exatas nem rígidas mas sigo a ordem das letras, comer, atividade e dormir. Conforme alguns comentários que recebi eu acabei repensando que é bom mudar uma atividade ou outra pois nunca sei se poderei cumprir as atividades sempre no mesmo horário se eu estiver em qualquer lugar então é bom mudar um pouco para que estes contratempos não atraplahem o dia a dia. ou banho nos horários próximos, na verdade eu faço conforme o ritmo do Arthur. Tem funcionado exceto pelos saltos no crescimento, estes dias tem sido um pouco mais chatinhos mas nada fora do normal. Estou indo no ritmo do Arthur e está sendo ótimo! Vez ou outra ele dá um trabalhinho mas nada fora do comum, não posso querer que uma criañça de 6 semanas seja rígida nos horários mas está tudo muito tranquilo e funcionando às mil maravilhas!

- Dormir: Tirei o bendito mosquiteiro do berço pois me incomodava e ele não gostava também. Tenho colocado o Arthur para dormir lá no berço dele no quarto dele e de luzes apagadas de noite. “Comece pelo jeito que deseja terminar” – então tenho feito da forma como quero que seja quando ele estiver maior. Não fico balançando-o no colo, normalmente ele dorme sozinho, quando não dorme (como hoje que tá chatinho) eu pego-o no colo, sento na poltrona e fico quietinha, ele normalmente relaxa aí coloco-o no berço. Se acorda tento fazê-lo dormir lá, se não funciona pego-o de novo e recomeço o ritual. Às vezes ele está mais manhoso, como hoje, mas costuma funcionar fácil. Ele só vem pra minha cama na mamada da manhã, o restante do dia ele tira as sonecas dele no carrinho ou no berço, normalmente no berço. Ah, ele dorme com ou sem barulho, estas coisas não influenciam em nada! Que bom né! Mas embrulhá-lo num pacotinho não funciona! Ele odeia!

- Cólicas: Ainda aparecem e agora são de manhã e à noite. Não tenho problemas com a alimentação, creio que seja normal pela imaturidade do sistema digestivo dele, faço-o arrotar normalmente, faço massagem e as cólicas quando veem são bem leves e duram pouco. Não tenho tido muitos problemas com isso não!

- Maternidade Acidental: Tenho que confessar que às vezes dou de mamar para ele dormir tá? Mas só de vez em quando kkk (Thais – Fraldas e Guitarras - vai me matar né amiga?)

- Passeios: Decidi dar um tempo nas saídas e isso ajudou, estes dias ele está bem menos agitado, vamos dar tempo ao tempo e esperar que ele amadureça!

- Desenvolvimento: Já fica na cadeirinha se entretendo com os brinquedos, ama as cores do quarto, já interage um pouco mais. Fixa bem o olhar e está começando a dar uns gritinhos. Sorri com mais frequencia e de vez em quando só qer colinho!

- Crescimento: Percebi que ele engordou bem esta semana, tá mais rechonchudo e as roupas bem menores e apertadas, já tô usando os bodys P e M! Fraldas usamos a Pampers P porque a Turma da Monica é menor – ainda bem que acabaram!

- Cremes, pomadas e afins: Gente, pomada de assaduras não foi feita para sair no banho viu? Se ficar na pele não tem problema, vejo muita gente reclamar da Hioglós, eu adoro justamente porque não sai fácil e olha que a fórmula melhorou muito de uns anos pra cá! Uso a convencional mesmo e adoro principalmente porque sempre que o troco, na maioria das vezes quer dizer, eu dou o 1/2 banho e o fato de ficar um pouco de pomada é bom!

- Brotoejas: Estão melhorando, quase sumindo! Estou verificando sempre se ele está superaquecido então não tenho mais problemas com o aparecimento delas no rosto.

Bom, acho que é só né? Espero que tenham gostado da carinha nova de tudo embora eu deva mudar de novo porque adoro trocar as imagens do Blog, se acostumem com isso tá? Beijinhos para as mamães que estão prestes a ganhar seus bebês! Tá chegando a hora hein meninas!!! De cabeça sei que tem a Nina da Nat e a Olívia da Camila para chegar em poucos dias né? Tem o Oliver da Tássia que chegará em pouco tempo tbem. Tem a Melanie da Michelle  e o João Pedro da Mrs_Dalloway que tá chegando em breve! Bom, tomara que eu não tenha esquecido de ninguém. Morro de medo de esquecer, mas se esqueci não foi por mal tá? Foi sem querer!

Ainda vou anexar os links das amigas aí no Blog mas tenham paciência porque a rotina aqui é Punk!!!

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Pediatra, Vacina, Passeios e Picos de Crescimento


Hoje quero falar de um monte de coisas ao mesmo tempo e espero que você tenha paciência de ler até o final kkkk! Tenho muita coisa pra contar e muitos assuntos para falar. Quero contar sobre a consulta ao pediatra, os passeios do fim de semana e suas consequencias, vacinação, visitas, meu aniversário e Picos de Crescimento.

Bom, no último post contei que mudaria de pediatra. Fomos a tão esperada consulta e fiquei satisfeitíssima com a gama de informações que o médico me passou! Este pediatra cuidou de quase todos os bebês da família do Rick então é de confiança. Minha cunhada está com 15 anos e tratava com ele, o afilhado do meu marido, hoje com 16, também.

Ele foi super profissional, me passou todos os telefones mas ainda não me deu o celular pois eu não sabia se ia ficar com ele ou não pois ele viu que vim de outro profissional por não estar satisfeita. Mas sei que ele dá até o telefone da casa dele para quem precisar. Bom, já marqui o retorno e vou ficar com ele.

Mandou continuar com a vitamina, não desencorajou a vacinação em Posto de Saúde, mesmo porque eu vou vaciná-lo em Posto de Saúde mesmo porque não tenho grana para pagar particular (levei-o ontem e nem chorou) – Aliás, eu que quase chorei né? Ele só arregalou os olhos e fez um chorinho bem rapidinho, nada desesperador. Corajoso esse meu filho viu! Mais corajoso que a mamãe dele porque eu tremia que nem vara verde!!!

Finalmente as brotoejas estão sumindo, também não estou usando nenhuma roupinha de lã pois elas também podem ter causado estas erupções no rosto dele. O fato de diminuir a quantidade de roupas e cobertores já fizeram com que diminuam muito mas elas ainda não sumiram, leva um tempo para que isto aconteça. Eu morria de medo que ele pegasse uma pneumonia ou se resfriasse pois estava escutando uns chiados mas o pediatra me informou que estas secreções são normais. Quando choramos ficamos com os narizes cheios de secreções e os bebês choram o tempo todo mas como não sabem fazer “ram-ram” as secreções não descem pela garganta, ficam no nariz. receitou um spray de cloreto de sódio pediátrico para fazer a assepsia pelo menos 2 vezes por semana. E nada de superaquecer o bebê, eles sentem calor e frio como nós, se sentir frio certamente saberei, portanto: “Menos é mais!”

Este é um assunto bastante complicado! Recebi poucas visitas em casa mas toda vez que recebo visitas ou levo o Arthur para passear começa uma novela sem fim. Ele fica muito agitado, chora muito e quer mamar freneticamente para se acalmar. Esta semana recebemos visitas, alé disso foi meu aniversário dia 22 e o dia foi bem agitado! No final de semana levamos o Arthur para conhecer as tias, vovô, tios avôs e etc e foi um verdadeiro perrengue! Não parava de chorar e pedir para mamar. à noite só dormiu quando o acalentei nos braços, coloquei músicas de ninar e o acalmei. Domingo foi um inferno! Ele resolveu chorar sem parar e nada o agradava, mexia os braços e pernas com muita agitação e não queria saber de dormir. Embora os passeios tenham sido muito satisfatórios e legais, Arthur e nós não estamos preparados para passeios ainda. Não podemos sair de nossa rotina, é muita informação nova ao mesmo tempo e não tem sido emocionalmente saudável para nós, por isso vamos esperar um pouco mais para sair com  ele por períodos mais longos. Na praia foi a mesma coisa e nós confundimos com cólicas como normalmente acontece em situações assim. No mais foi tudo muito legal e gostoso!!! 

Obs.: Depois que viramos mamães, pelo menos no meu caso, nossos aniversários deixam de ser datas especiais! Nem festinha fiz este ano mas recebi um montão de recadinhos de gente que amo muito me parabenizando e sinceramente, estes recadinhos, o amor de minha famíília e o sorriso do meu filho são o que mais importa nesta data!

Quanto aos passeios vamos maneirar um pouco pois administrar o stress de um bebê não é fácil não! É muito gostoso passear com ele, na maior parte do tempo ele se comporta muito bem mas depois de algumas horas em lugares que ele não conhece muito bem ele começa a ficar cansado e estressado e tadinho, morremos de dó de vê-lo agitado. Por este motivo é que vamos amenizar os passeios para algo de poucas horas, até que o ambiente externo não influencie tanto seu comportamento.
  
Hoje, com 6 semanas de vida, Arthur está passando pelo primeiro salto de crescimento. Ele aprendeu a sorri. O que me fez acreditar que tratava-se disto foi este novo aprendizado e o intervalo entre as mamadas. Ele está mamando de 2 em 2 horas e em quantidade maior, permanece alerta todo o tempo da mamada e parece muito faminto. Mama por mais de 30 minutos – o que não é normal pois ele costuma mamar em 20 minutos e é bem calminho. Tirar as sonecas tem sido difícil hoje. Ele está calmo e relaxado mas pede para mamar o tempo todo, não só nestes intervalos de 2 horas. À vezes até perde a concentração e tenho que conve rsar com ele, acalmá-lo e ensiná-lo a retomar a mamada – os meninos tendem a perder a concentração enquanto mamam e ás vezes é preciso lembrá-lo como se faz para sugar colocando o dedo mindinho na boca. Bom, hoje tem sido assim, mamadas longas e em intervalos menores. Creio que até amanhã tudo volte ao normal para nós! Superstimulação não pode ser pois dormiu super bem e estamos sozinhos em casa, não tem agitação nas pernas e braços e ele faz o movimento de rota~ção com o rosto procurando a mama, portanto é fome!

E só para ajudar quebrei 2 dentes neste fim de semana, comendo pão e pizza!!! Natural para quem está amamentando! No fim de semana farei as restaurações!


Quando eu estava grávida de 2 meses nós fomos ao show do ACDC, amamos muito e somos alucinados pela banda! Um dos primeiros presentes do Arthur (ganhou do vovô) foi um Body do ACDC e finalmente chegou o dia de usá-lo, ficou um charme né? O papai que ensinou a mamãe a gostar de ACDC e agora somos uma familia totalmente rockn´roll!!! Ele ficou uma gracinha de calça jeans né?

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Agora sim!



Tenho um caderno onde faço um diário da minha rotina com o Arthur. Nele coloco a palavra EASY e anoto todos os horários: início e fim de cada atividade. Marco também qual seio foi dado na mamada para que eu saiba por onde começar. Ainda não estou conseguindo dar a tal Mamada dos sonhos que consiste em alimentar bem o bebê em intervalos menores (19hs, 21hs e 23hs) para que ele durma a noite toda. Isto não tem acontecido ainda, ele mama pouco nestes horários e acaba acordando lá pelas 3hs da manhã para mamar de novo mas isto não me atrapalha de forma alguma.
-
Arthur tem dormido em seu quarto desde o primeiro dia que apliquei a técnica. Não tenho tido mais dificuldades em fazê-lo pegar no sono. Ele dorme sozinho na maioria das vezes. O método funciona bem porque agora não resolvo todo choro com o peito e a mamada acontece sempre antes da troca (exceto a da madrugada que eu não o troco para não despertar), desta forma ele não confunde o peito com chupeta e entende que após a troca ele tem que dormir, e dorme bem!

De manhã coloco-o na minha cama mas o dia todo ele dorme no berço dele e o amamento no quarto dele. Outra mudança que fiz foi amamentar no quarto, antes dava de mamar na minha cama ou na sala com a TV ligada, agora me dedico somente a amamentar, sento na poltrona do quarto dele e fico ali amamentando até ele estar satisfeito. Isso tornou o momento mais especial do que já é e ele tem ficado mais tranquilo.

Troquei o medicamento das cólicas e finalmente está resolvendo, é o mesmo princípio ativo (dimeticona) mas é do Laboratório EMS, é docinho e faz efeito super rápido. Ele continua tendo cólicas quase que diariamente mas o medicamento ajuda muito e não vivo mais sem ele. Coloco sempre algo que sobrou na colherzinha na chupeta e ele fica satisfeito que até dorme!-

Dou 2 banhos nele por dia, um por volta das 13hs e outro por volta das 19hs se não estiver muito frio. Isso o relaxa bastante e faz com que durma mais tranquilamente além de evitar as cólicas. Dificilmente ele me dá trabalho para dormir agora, só precisei pegá-lo no berço 2 vezes nestes dias, em uma eu dei de mamar pois ele estava faminto mesmo não sendo o horário para isto e na outra ninei no colo e ele dormiu mas depois que ele percebeu a rotina passou a dormir bem mais fácil. Uma vantagem é que ele adora o quarto e o berço e isso é ótimo! Chupeta só pede para dormir ou quando o troco após o banho.

Ele anda preguiçoso para mamar, mama por 10 minutos e dorme aí acorda e mama mais 20 minutos, às vezes suga tão bem que fica satisfeito em 15 minutinhos e já li por aí que é normal pois ele sabe quando está satisfeito. Esvazio sempre uma mama antes de dar a outra, normalmente consigo das 3 vezes de mamar no mesmo peito, às vezes ele pede pra trocar mas quando vejo que está vazia já troco para a outra mama na próxima mamada, por isso anoto o lado lá no diário dele.

O coto umbilical caiu com 20 dias de vida e com 1 mês a feridinha da vacina apareceu. Esta semana vou levá-lo para tomar a segunda dose da vacina de Hepatite. Nunca vi, em SP, pelo menos onde moro, nenhum Posto de Saúde abre aos sábados, é um absurdo! Meu sogro nos levará esta semana após a consulta com o novo pediatra pois quero ver o que faço caso ele tenha reação a vacina.

O cabelo (pouco cabelo que tem) está caindo! Acho lindo bebê carequinha! E sou suspeita pra dizer sobre o meu filho né?

Então é isso pessoal! Fiz questão de fazer este post para deixar vocês todas tranquilas, recebi várias mensagens que foram reconfortantes e realmente, isso tudo passa! E passou! Tudo bem que ainda não durmo direito só de pensar que qualquer resmungo possa virar um show de 3hs de choro interminável, mas aos poucos vou aprendendo e me acostumando. Mas confesso que não achava que a técnica fosse funcionar. Todo mundo precisa de rotina e o fato do bebê saber o que vai acontecer é fundamental, desta forma fica bom pra nós dois!

Papai tem participado bastante da nossa rotina e me ajudado muito! tenho conseguido cuidar de mim e estou com ótimo humor só curtindo o meu gatão! Ah, tirei umas fotinhos que quero deixar aqui registradas, é a parte do corpo mais gostosa de morder que meu filho tem!

Esta semana vamos ao pediatra e volto com notícias! Tô doida para saber o quanto ele cresceu e o quanto ganhou de peso! Já perdemos algumas roupinhas, nem as de tamanho P estão servindo, o pé dele é bem grandinho e em alguns macacões fica um pouco apertado! Os Bodys RN logo logo não servem mais, lá vamos nós para o Brás comprar mais roupinhas! (Oba!!!!) Preciso ainda providenciar o móbile e a almofada para amamentação, preciso dela pois haja dorzinha nos braços! Esta semana vou lá no escritório visitar o pessoal e levar o Reizinho para o pessoal conhecer, será que vão resistir a este sorriso?

Uma ótima semana para vocês, obrigada pelos recadinhos e até breve! P.S.: Assim que possível respondo a todos os comentários por e-mail!

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Coisas que ninguém conta sobre a chegada do bebê

- Respeite o seu bebê;
- Descanse enquanto ele dorme;
- Tenha um tempo para você enquanto ele tira uma soneca;
- Tome um banho demorado, faça as unhas, cuide de você, pouco tempo sendo você sem ser mãe pode fazer milagres em sua auto estima, deixe para o papai olhar o bebê nestes momentos.
- Modere as visitas para que seu bebê não fique irritável e superstimulado;
- Tenha paciência e calma;
- Todos os bebês são diferentes, assim como as pessoas adultas, e a forma como eles reagem começam a se manifestar lá pelo 5º dia após o nascimento ou depois. Fique atenta aos sinais e procure entender a linguagem de seu filho, aprenda a ouví-lo;

Fiz o teste do livro azul da Tracy Hogg e descobri que o Arthur é um “Bebê-Anjo” – não concordo de jeito nenhum, embora ele seja facilmente adaptável e previsível eu enfrento alguns momentos em que ele é facilmente irritável ou até um bebê enérgico porque tem momentos em que fica com muita raiva kkk. Vou pedir para o meu marido responder ao teste para compararmos, de repente a forma como vejo é diferente da forma como meu marido o vê ou então eu esteja tão desesperada com os momentos difíceis que não consiga enxergar que há crianças bem mais complicadas e difíceis de lidar do que o meu filho. Depois eu conto pra vocês sobre esta experiência!

Ainda vou falar muito sobre estes assuntos e minhas aventuras como Mãe de primeira viagem, minhas impressões sobre o dia a dia e minhas tentativas, quem sabe algo possa te ajudar. Quem sabe você possa me ajudar? Estamos aqui para trocar experiências!

Volto a falar que estou lendo os livros como meio de orientação, não pretendo defender nenhuma teoria embora me identifique com algumas delas. Não sou defensora de nenhuma receiita milagrosa mas pretendo expressar minhas opiniões em relação às tentativas de aplicação das técnicas que venho colhendo nestes livros. Por favor, peço que respeitem a forma como encontrei de passar por esta fase tão difícil poi
s estou lidando com toda esta novidade sozinha, na verdade, nós três (eu, meu mari
do e o Arthur) estamos aprendendo juntos a viver. Os livros apenas norteiam um caminho mais fácil através da experiência de outras pessoas e, sinceramente, antes de julgar não custa nada tentar né?

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Chupeta com gosto de infância

Através de uma amiga (@RanneCassia), fui apresentada a este relato relacionado ao uso da chupeta. Eu estava me sentindo super culpada em relção a isso e confesso que depois de ler este relato tudo ficou mais fácil e mais brando.


Acho que a leitura dele é bem legal pra você que se sente culpada ao dar chupeta para o seu filho, assim como eu me sentia, vale a pena ler!


Chupeta com gosto de infância - Por Denise Fraga
 
Beto Tchernobilsky
Costumo dizer que tenho a melhor profissão do mundo. Meu ofício me permite ir a lugares impossíveis, viajar no tempo, ter comportamentos estapafúrdios, ser mal educada, matar e não ser presa, morrer e levantar alguns segundos depois. Com meu ofício, tenho a graça de poder fazer coisas inimagináveis de serem feitas na minha idade. Há um tempo atrás, precisei fazer um bebê, vejam só. Coisa engraçada me imaginar careca, sem dente e cheia de dobrinhas engatinhando num tapete.

E assim, desse tamanhão. A cena estava um tanto desconcertante, afinal não é tão fácil assim entrar na pele de um bebezinho. Até que me foi oferecida uma chupeta. Achei esquisito, mas na hora em que coloquei a chupeta na boca, foi muito mais fácil virar um bebê. Acho que, assim como andamos de bicicleta pra sempre, uma chupeta na boca nos acalma como no tempo em que, com ela, caíamos nos braços de Morfeu. Aquela mera chupetinha me fez voltar para algum lugar extremamente confortável. Vale experimentar. Vá agora mesmo à farmácia mais próxima, se seus pequenos já cresceram. Se não, pegue uma emprestada, tranque-se no quarto, encolha-se na cama e veja que gostosura. Agora, se você é uma mãe que resistiu bravamente e nunca deu chupeta para seu pequeno chorão, apesar de morrer de medo dele apelar pro próprio dedo, mesmo ouvindo o 'chupeta a gente tira, o dedo não' da sua sogra, não vai saber muito bem do que estou falando.

Eu dei chupeta. Como toda mãe moderna, informada e metida a psicopedagoga, tentei não dar. Mas dei. E até hoje me lembro da doce sensação do meu pequeno se aconchegando em meu colo depois de abocanha-la para dormir.

Hoje, eles têm 10 e 8 anos e o pavor que eu tive de estar errando na hora em que resolvemos dar a chupeta àquele bebezinho se contorcendo de cólicas não significa mais nada. Naquele dia, me senti fracassada por apelar para aquele absurdo artifício, quase uma covardia, oferecia-lhe um vício, entortaria seus dentinhos, seria difícil tirar. Tudo bobagem. As velhas chupetas de Nino e Pedro jazem agora esquecidas no fundo do armário na caixa de pertences do Papai Noel. Entregaram juntos ao bom velhinho. Uma considerável desvantagem para o pequeno Pedro, um ano e meio mais novo. No dia seguinte à noite de Natal, ele acordou às sete da manhã e pediu a 'peta' para continuar a soneca. 'A gente deu ontem pro Papai Noel, lembra, Pedro?' Duas horas depois, desesperada de sono e com os ouvidos exaustos, entreguei os pontos e resolvemos procurar alguma chupetinha que, quem sabe, a mamãe poderia ter 'esquecido' no fundo de alguma gaveta. Deleitou-se por mais um tempo o pequeno Pedro. E eu ainda nem tinha provado a delícia. Se tivesse, talvez deixasse ainda mais.

Hoje nenhum deles chupa chupeta. Nem eu. É bom que se explique. Apesar da minha experiência, sei que não fica bem. Se bem que, às vezes, na sala de espera do aeroporto, observo o vai-e-vem de executivos estressados, um celular na orelha, outro na mão, laptop no colo e penso que se grande parte da humanidade ao menos dormisse de chupeta, a vida talvez lhes corresse mais leve. As farmácias venderiam menos soníferos e os ortodontistas enriqueceriam ainda mais. Doce delícia.

Priscila Prade

Denise Fraga é atriz, apresenta quadros no Fantástico, casada com o diretor Luiz Villaça e mãe de Nino, 10 anos, e Pedro, 8
E-mail: dfraga.colunista@edglobo.com.br




FASES DA CRIANÇA SEGUNDO FREUD:


segunda-feira, 12 de julho de 2010

Viagem, Perdas, Sling e Baby Blues…


Neste final de semana fomos viajar para aproveitar o feriado. Fomos na quinta à noite mas não consegui acordar o Arthur no caminho para amamentá-lo, ao chegar na praia foi a primeira coisa que fiz para poder aliviar a pressão nos ouvidinhos e funcionou. A viagem foi super tranquila e só foi chato porque minha avózinha faleceu e eu fiquei muito triste mas por causa do Arthur tenho que permanecer forte pois ele precisa de mim. Só por causa dele e do Rick é que estou de pé tentando continuar. Minha avózinha já estava doente há mais de 1 ano, não estava lúcida e sofrendo muito. mesmo sabendo que ela descansou é impossível não sentir nenhuma dor. Nós somos egoístas e queremos quem amamos por perto né, mas vai passar. E eu que disse que ela só iria embora depois de ter um bisneto…  Bom, não quero mais falar do que me entristece…


Bom, vamos a assuntos mais felizes… Arthur tomou seu primeiro banho de chuveiro. Foi um banho bem rápido pois fiquei com medo dele se resfriar mas ele adorou e o papai ficou todo bobo né? Tirei poucas fotos pois tive que auxiliá-lo no banho. Foi uma delicia, ficou super calminho e adorou tomar banho com o papai!

Quem me deu esta dica de como dar o banho foi a mamãe da Julia Louise, minha amiga Ju! Foi super legal seguir as dicas, apesar que não tem segredo né Jú? Nada como o bom senso e o famoso instinto! Confesso que foi mais gratificante para o papai, olhem a carinha de babão dele:

     
Bom, continuo Slingando. Na praia foi super engraçado, as pessoas ficam chocadas porque a doida da mãe sai com um bebê de 25 dias para a praia e com sling, pensam em onde eu estou com a cabeça de enfiar um bebê num saco kkk Ai meu Deus, como tem gente sem instrução né? Nem falo nada mais sobre isso! Tô pensando em comprar mais slings, consegui até amamentá-lo andando, não gostei porque gosto mesmo é de amamentar olhando nos olhos dele mas como tínhamos que sair acabei amamentando-o no sling e foi bem legal.

Vou ver se consigo fazer visitinhas nos blogs né gentein? Tá difícil kkk A vida e corrida mas vale a pena e muito! Guenta que o Baby Blues vai terminar hehe, um dia!

Ah, troquei de pediatra, achei a pediatra que estava cuidando dele muito doidona e a consulta desta vez foi idêntica a anterior, não adianta, não simpatizei com ela e marquei outro. Dia 16 tenho que levá-lo para tomar vacina, estou com medo dele ter reação, espero que dê tudo certo.

Ah! Esqueci completamente de vir aqui agradecer aos presentinhos que ganhei estes dias desde que o Arthur nasceu. Além dos pacotes que vieram pelo correio da Glayce Cavalcante e da Jacke Gense que eu amei viu meninas, ganhei também alguns presentes virtuais! na ordem – Vivis, Bia Bonfim, Bia Bonfim de novo, Denise Umlauf, Jessica, Ana Paula, Patty Silveira, Valéria Piemonte e Soraya Pamplona.

Nem sei como agradecer por todo este carinho. Adoro receber estes mimos, me fazem tão feliz! Adoro receber recadinhos aqui no Blog, leio todos mas nem sempre consigo retribuir as visitas ou responder, vocês entendem que a vida anda muito corrida nos últimos tempos não é? Mas gente, muito obrigada, de coração, por cada carinho, por cada mimo, por cada palavra.

Obrigada pelos conselhos, pelas palavras de apoio, pela ajuda. Sem vocês muita coisa seria bem mais difícil, pelo menos não me sinto sozinha nesta minha nova tarefa. Tem sido muito difícil e graças a amizade de vocês e as palavras de carinho é que me ajudam a passar pelo Baby Blues.


Dia 16/07 Arthur faz 1 mês e dia 22/07 eu faço 32 aninhos! Várias comemorações em meio a tanta coisa! Mas uma coisa compensa a outra não é mesmo?

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Diário de uma Mãe de Primeira Viagem…


E aqui estamos para mais um boletim sobre as peripécias de uma Mãe de Primeira Viagem! Meu corpo está voltando ao normal aos poucos. Claro que vai demorar um bocado mas estou contente com o que consegui até agora. Perdi 5kg!

Hoje fomos a mais uma consulta com a Pediatra. Arthur estava com 49,5 cm e pesava 3,180 kg na última consulta há 15 dias atrás. Hoje está com 50 cm e pesando 3,7000 kg! Está ganhando peso direitinho pois estou com a amamentação exclusiva! Continuaremos assim então! Fico feliz que meus esforços estejam surtindo efeito! Afinal, acordar de madrugada tem valido a pena!

Falando nisso, continuo com dificuldade em fazer o Arthur dormir! Tenho seguido os passos da Encantadora de Bebês mas descobri que ele tem feito manha e usado meu seio como chupeta. Nesta última noite acabei dando uma chupeta para ele e funcionou! Se acalmou e dormiu. Hoje mamou e dormiu no peito, quando o coloquei no berço abriu o berreiro. Desta vez, deixei-o chorando um pouquinho e logo ele percebeu que eu não iria pegá-lo no colo e dormiu. Já havia tentado todo tipo de técnica mas ele é esperto e já aprendeu que chorando consegue colo. Só que se for assim eu não terei mais vida. Insisti em deixá-lo um pouco chorando, fez manha mas acabou dormindo!

Nunca quis que o Arthur pegasse chupeta mas se tiro as luvas ele chupa o dedo. Andei lendo por ai algumas matérias e vi que não há mal algum em dar chupeta pois os bebês tem necessidade de sucção e a chupeta auxilia desde que usemos com sabedoria, nada de por chupeta na boca toda vez que chorar. A pediatra me aconselhou a sempre tentar descobrir o motivo do choro e em último caso dar a chupeta. Ontem ele mamava 5 minutos e dormia, ao ir pro carrinho chorava. Voltava pro peito e fazia as mesmas coisas, por isso dei a chupeta pois fez isso das 19h30 até as 23hs! Com a chupeta acabou dormindo e acordou só às 4hs da manhã para mamar. Ah, após dormir largou a chupeta! E hoje não dei nenhuma vez, a punica vez que tentei percebi que queria mamar então dei o peito, mamou 30 minutos e dormiu (depois do showzinho por estar no berço, claro!) – o showzinho durou menos de 5 minutos, quem sabe agora ele aprende a não faze manha!

Confesso que deixá-lo chorando um pouco foi difícil. Difícil controlar a vontade de pegá-lo mas foi o único jeito que encontrei para ensiná-lo a não fazer manha. Bom, abaixo segue algumas fotos dele de chupeta, achei tão lindo! E o barulhinho é uma delicia de ouvir, me lembra a Meg dos Simpsons kkk  



Sobre as cólicas… Arthur teve 3 episódios de cólicas somente sendo que um deles foi daqueles intermináveis, chorou das 19h30 até 23hs! Sem parar! Foi esta semana e foi bem difícil fazê-lo dormir depois de tanta dor.

Eu e o Papai ficamos alternando o colo, massagem e carinho para ajudar. Dei as gotinhas do remédio mas não surtiu efeito rápido. Deu dó de vê-lo sentindo dor. tentei todas as técnicas e descobri que a única posição que resolve é esta aqui, de bruços:


Viram o detalhe das lagriminhas no canto do olho dele? Tadinho! Descobri que dando banho às 19hs ou 19h3o as cólicas não apareceram, não sei se foi coincidência mas há 2 dias ele não tem tido cólicas e foram justamente nestes dias que comecei a dar o segundo banho nestes horários. Dou o banho das 13hs e depois outro lá pelas 19hs. Faço massagem com oléo Jhonson e dou de mamar. Isso tem deixado-o relaxado (exceto por ontem que quis ficar acordado) e as cólicas não apareceram. Vou testar em mais alguns dias para ver se continua funcionando. A pediatra me disse que pode ser sim que o banho tenha ajudado. Aqui é tudo tentativa e erro né? Vamos tentando!


http://4.bp.blogspot.com/_87SIjH87Co4/SlYA6N-TJrI/AAAAAAAABCA/I5NxCBi3ZT4/s400/amarelo.png

Outro assunto que eu queria falar era sobre o Sling, comprei um na Slinguru e testei. O Arthur amou! Fiquei o dia todo com ele no Sling mas descobri que estava usando de ponta cabeça, quando coloquei do modo correto ele não gostou muito não e passou a chorar quando o colocava nele. Acho que ele ainda é muito pequeno para usar o sling e se sente apertado. Vou esperar um pouco mais para usar.

É super prático e super seguro mas como ele reclamou umm pouquinho eu acabei não insistindo em usar, quem sabe com um pouco de prática eu não use posteriormente?

Aqui coloquei umas fotos mas de quando estava usando o Sling de forma errada, a parte da costura perto das argolas deve cobrir todo o ombro, sem fazer pressão e sem machucar. Confesso que o tempo que ele ficou no sling foi ótimo! Dormiu de até roncar! relaxou mesmo! Foi uma delícia mas vou esperar um pouco mais para usar!

Bom, amanhã vamos para a Praia! Não vejo a hora de curtir o feriadão! A Pediatra me disse para ir o alimentando no carro se ele quiser ou então dar de mamar assim que chegar para aliviar a pressão no ouvido por conta da viagem. Não podemos passar protetor solar devido a idade dele mas sempre usar o bom senso e evitar os horários de Sol mais forte. No mais é só aproveitar a viagem!

Então, bóra aproveitar o feriadão e tirar muitas fotos?

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Você sabe o que é Baby Blues e Depressão Pós Parto?

Por acaso você sabe o que é Baby Blues? E depressão Pós-Parto? Eu achava que Baby Blues era o período inicial do RN e lendo uma revista descobri que não é bem esta a definição, então quis compartilhar com vocês. Pesquisei sobre o assunto pois percebi que eu vinha tendo crises de choro por achar que as minha rotina seria regrada e que eu seria a Mulher Maravilha das mamães e não é bem assim que as coisas funcionam.

Tenha em mente que sua vida vai mudar e mudar completamente, que seu beb~e vai depender única e exclusivamente de você. Há muitas coisas que os papais podem fazer mas dar de mamar e às vezes um colinho só a mamãe pode dar, acredite, ele será dependente de você e muito!


O tal Baby Blues e Depressão Pós-Parto

A forma mais branda da depressão pós-parto é conhecida como baby blues, ou melancolia do pós-parto.

Surge, na maioria das vezes, até o quarto dia do nascimento do bebê e dura até no máximo uma semana, tendo sintomas parecidos com os da depressão pós-parto.
Mais de 80% das mulheres têm o baby blues que, diferente da depressão pós-parto, não é uma doença. A depressão pós-parto pode aparecer a partir da segunda ou terceira semana, mas na maioria das vezes, surge na sexta semana. Um baby blues muito intenso e longo demais pode ocasionar adiante uma depressão pós-parto mais grave.

Por isso é importante acompanhar todas as mulheres na primeira semana depois do nascimento do filho.

Casos mais drásticos são conhecidos como psicose puerperal (pós-parto). Os sintomas são mais radicais: a mãe sofre confusão mental, delírios, tem idéias esquizofrênicas.
Existem casos de mães que matam filhos depois do parto, mas as psicoses puerperais são muito raras - acontecem dois casos a cada mil nascimentos.

 
Há diferenças enormes entre psicose puerperal e a depressão.


Quando a mãe tem psicose puerperal, há grandes chances, cerca de 50%, de repetir o estado na gravidez seguinte. Enquanto nas depressões pós-parto, não há relação entre uma gestação e outra.

Apesar de não existir prevenção, é possível tratá-la com remédios, dependendo do caso. Não há um remédio específico para depressão pós-parto, mas há casos em que torna-se preciso usar antidepressivos tradicionais para tirar a mãe desse estado.
No entanto, se a mulher estiver amamentando, não é aconselhável que ela tome esses medicamentos.

Segundo dr. Bernard Goose, professor de Psiquiatra da Criança e do Adolescente na Universidade Sorbonne, na França, a comunidade pode dar uma ajuda fundamental. Independente do atendimento psiquiátrico, cada país deveria criar suas próprias redes de convivência.

No passado, havia convivência entre mulheres de gerações diferentes. Isso desapareceu da organização atual da sociedade. As jovens mães devem ouvir a experiência de mulheres mais experientes.

O depoimento de outras mães é fundamental para que ela se identifique: realmente não é tão fácil assim ter um bebê e a futura mamãe não precisa sentir-se culpada por ter dificuldades com a maternidade, outras mães, antes dela, já rejeitaram seus filhos quando nasceram. O papel da família é crucial.

Quando o quadro depressivo diminuir, não há tratamento melhor que o contato da mãe e filho.

Desde que não seja imposto, restabelecer o vínculo entre a mãe e o filho é o melhor antidepressivo.

80% das mulheres são acometidas da tristeza materna

A Tristeza Materna (baby blues), por sua vez, acomete até 80% das mulheres, mas devido ao tabu mencionado pode se imaginar um índice até maior. É um estado de humor depressivo que costuma acontecer a partir da primeira semana depois do parto. É benigno pois regride por si só por volta do 1 mês.


Atenção a quadro mais severo: DPP


Depressão Pós Parto (DPP) é um quadro clínico severo e agudo que requer acompanhamento psicológico e psiquiátrico, pois devido a gravidade dos sintomas há que se considerar o uso de medicação. Acomete até 15% das mulheres, podendo começar na primeira semana após o parto e perdurar até dois anos.

Existem alguns fatores de risco que vêem sendo estudados e demonstram uma alta correlação com a DPP. Entre eles temos: mulheres que sofrem de TPM, mulheres com sintomas depressivos durante a gestação, com histórico de transtornos afetivos, com dificuldades na gestação, submetidas a cesárea (no Brasil na rede privada chega a 80% dos casos, enquanto a OMS recomenda não passar de 15%), primigestas, carência social.

A puérpera se beneficia de grupos terapêuticos onde se pode partilhar o sofrimento junto a outras mulheres em igual situação e sob orientação de um profissional, também pode ser recomendado atendimento psicológico individual.


Distinção entre DPP e Baby Blues

O que distingue a DPP da Tristeza Materna (baby blues, postpartum blues) é a gravidade do quadro e o que ele tem de incapacitante afetando a funcionalidade da mãe e pondo em risco seu bem estar e do bebê. Aparecem sintomas como irritabilidade, mudanças bruscas de humor, indisposição, doenças psicossomáticas, tristeza profunda, desinteresse pelas atividades do dia-a-dia, sensação de incapacidade de cuidar do bebê e desinteresse por ele, chegando ao extremo de pensamento suicidas e homicidas em relação ao bebê. O diagnóstico precoce é fundamental e para isso é necessário um acompanhamento em todo ciclo gravídico puerperal, sendo a melhor forma de evitar, atenuar ou reduzir a duração da DPP. Grupos de gestante têm caráter psicoprofilático e, portanto, ajudam no diagnóstico e tratamento precoce.

Existe um tabu em relação ao tema gestação e depressão, como se a mulher devesse
estar radiante pe
lo nascimento de seu filho e ela fosse culpada de uma espécie de "ingratidão". Algumas mulheres não conseguem admitir para si mesmas que merecem ajuda, escondendo dos cônjuges e da família seu estado. Além da evidente necessidade de cuidados da mulher, acima citados, a DPP é fator de risco para a saúde mental do bebê e, portanto, requer toda a nossa atenção.

Sintomas Baby Blues
. Primeiros dias após o parto
. Atinge de 50 a 80% das mulheres
· Lapsos curtos de memória
· Fadiga
· Ansiedade
· Inquietação
· Impaciência
· Irritabilidade
· Tristeza e choro sem nenhum motivo aparente
Resolve-se espontaneamente após alguns dias

Sintomas de DPP
DEPRESSÃO PÓS-PARTO
Afeta 1 em 10 mulheres. Constatando-se a presença da maioria desses sintomas, é importante que se procure um profissional, ou que seja comunicado ao obstetra para que esse providencie o encaminhamento.
· Choro incontrolável
· Perda de memória
· Falta de interesse no bebê
· Irritação
· Insônia
· Sentimento de culpa
· Medo de machucar o bebê ou se machucar
· Fadiga
· Tristeza constante
· Alterações de humor exageradas
· Confusão
· Falta de concentração
· Distúrbios de sono ou apetite

Sintomas de psicose
PSICOSE PÓS-PARTO
Afeta 1 em 1000 mulheres. Os sintomas aparecem nos 3 primeiros meses e são mais intensos e duradouros, com episódios psicóticos. Necessita acompanhamento psicológico e internação hospitalar.
· Alucinações ou delírios
· Pensamentos de machucar o bebê
· Insônia severa
· Pensamentos de autodestruição
· Agitação
· Comportamentos estranhos
· Medo
· Pensamentos intrusivos
· Distúrbios de sono ou apetite

Sintomas depressão cronica
SÍNDROME DEPRESSIVA CRÔNICA

Episódio depressivo não psicótico. O tratamento deve ser psicológico e medicamentoso, pois pode perdurar por até 1 ano.
· Humor disfórico
· Distúrbio do sono
· Alteração do apetite
· Fadiga
· Culpa excessiva
· Pensamentos suicidas.


 Divulgação

Dicas de como lidar com o Baby Blues


1- Gaste seu tempo com seu bebê! Lembre-se de quanto tempo esperou para segurar seu precioso anjinho.
2- Descanse! Descanse! Descanse! Aproveite esse tempo com seu bebê. Deixem que os outros esperem por você. Deixe-se ser paparicada nestes primeiros dias em casa (principalmente se se submeteu a uma cesariana ou teve complicações).
3- Traga o bebê para o seu quarto ou sua cama para ter mais descanso.
4- Evite horários fixos ou rígidos, isto estressa a nova mãe. Siga o ritmo do bebê e sua própria intuição.
5- Evite esforçar-se. Limite o tempo e o número de visitas de parentes ou amigos. Quando você tiver convidados, não se sinta na obrigação de ser uma anfitriã perfeita. Na realidade, se algum convidado te encontrar de camisola, será menos provável que ele estenda a visita.
6- Algum exercício é bom. Observe o seu limite e não se exceda. Fadiga dor podem piorar seus sentimentos.
7- Sempre que seu bebê dormir, durma e descanse também. Esta NÃO é a hora de pular ou executar aquelas 40 tarefas nas quais você está pensando.
8- Coma bem. Tenha lanches saudáveis à mão. Comidas nutritivas e de fácil preparo são úteis. (Mande os doces para casa junto com a avó.) Esteja certa de estar comendo algum carboidrato (pão, milho, arroz, centeio, batatas, aveia, biscoitos de farinhas integrais etc) a cada 3 horas, para manter o nível da taxa de açúcar no sangue, evitando hipoglicemia.
9- Beba muito líquido. Seu corpo está se recuperando e quantidades extras de líquidos são essenciais para a amamentação. Beba bastante água. Sucos naturais são excelentes. Evite cafeína e calorias vazias dos refrigerantes. Evite bebida alcoólica ou reduza seu consumo ao mínimo.
10- Obtenha ajuda para as tarefas domésticas, refeições e outras crianças. Aceite a ajuda de amigos. SE alguém oferecer para ajudar, não recuse.
11- Priorize economizar energia. Nem todo trabalho doméstico precisa ser feito.
12- Agradeça ao papai quando ele ajudar com a casa, as refeições ou os filhos maiores, por exemplo. Um pouco de gratidão percorrerá um longo caminho nesses dias.
13- Trocar carinhos, abraços e beijos com seu companheiro ajudará a mamter um bom relacionamento entre vocês.
14- Mime a si mesma, você merece. Dê a você mesma uma limpeza de pele ou faça as unhas. Cuide de seus cabelos. Tome um bom banho ou tome um banho com seu bebê. Leia livros de frivolidades.
15- Saia. Respire ar fresco. Leve o bebê para passear com você. Não faça muito de uma vez. Escute seu corpo.
16- Aproxime-se de outras mães. Procure grupos de mães com quem possa conversar e fazer atividades com o bebê. Alguns exemplos: exercícios para mamães e bebês, Grupos La Leche League, grupos de apoio para novos pais, igreja ou grupos religiosos, vizinhos, ou comece seu próprio grupo.
17- Aprenda técnicas de relaxamento e meditação. Aprenda a fazer durante os poucos momentos calmos que você tem. Lembre-se dos exercícios de relaxamento das aulas de preparação para o parto.
18- Concentre-se no que está fazendo. Concentrando-se, o tempo passa mais rápido.
19- Divirta-se com seu bebê. Vá a aulas de ginástica com seu bebê, caminhe, coloque uma roupa bem bonita no bebê, vá ao parque, etc.
20- Exercite-se após liberação médica. Pergunte sobre exercícios específicos e quando pode começar a fazê-los.
21- Seja gentil com você mesma. Dê-se bastante tempo para se recuperar.
22- Embora seja normal experimentar o baby blues, se seus sentimentos persistirem ou parecerem preponderantes não hesite em conversar sobre o problema com seu profissional de saúde. É importante que você tenha todo o suporte que você precisa durante este momento.
23- Ouça conselhos com parcimônia. Siga seus instintos de mãe. Você sabe o que é melhor para o seu lindo bebê!

Por Lois V. Nightingale, PhD
Disponibilizado pela
La Leche League International




Procurei sobre o assunto pois estava preocupada. Eu achava que os bebês mamavam, dormiam e trocavam fralda. Nem sempre eles quere
m dorm
ir após as mamadas e eu sofria e chorava por não conseguir fazê-lo dormir. Estava ficando muito difícil, sem contar que eu não estava saindo de casa pra nada e isso é simplesmente horrível.

Além disso, queria fazer tudo em casa, isso porque meu marido ajuda, faz todos os afazeres domésticos mas mesmo assim eu sempre arrumava o que fazer e não estava descansando. O que me ajudou foi conversar muito sobre o assunto com ele, descobrir o que me incomodava e mudar minha rotina. Hoje percebo que vivo em função do meu filho e que meus horários e tarefas são sim definidas por ele. Mas levo numa boa pois estou sabendo administrar meu tempo e minha vida.

Siga as dicas que eu trouxe, talvez possa te ajudar. Converse muito com  seu companheiro, família e amigos. Troque idéias com outras mães, acredite, muita gente passa pelas mesmas coisas e alguém que já passou pode te ajudar. E tenha um tempo só para você, deixe seu companheiro cuidar de um episódio de choro interminável sem culpa. Deixe que outras pessoas fiquem com seu bebê, isso não faz de você uma péssima mãe. E descanse sempre que possível!


 

Baby Blues Comic Strip (Official)Baby Blues é um livro de tirinhas (Quadrinhos) que trata justamente deste períoo difícil em que passamos após o nascimento de nossos bebês. Baby Blues é produzida por Rick Kirkman e Jerry Scott. Estreou no dia 7 de janeiro de 1990, fez sucesso e entrou para o King Feature Syndicate em 1995. A série focava, de início, a família MacPherson, com o pai Darryl, a mãe Wanda e a filha Zoe. Ao longo dos anos, a família cresceu, com o garoto Hamish e o pequeno Wren. Os autores basearam a história das tiras em suas experiências familiares. Já foram publicados mais de 30 livros da série nos Estados Unidos. A série foi inclusive adaptada para a TV em 2000. Baby Blues ganhou o prêmio de Melhor Tira de Jornal em 1995, da National Cartoonists Society. Uma das características da tira é que o tempo "passa", e as crianças crescem. De acordo com os autores, cada dia na tirinha equivale a três dias na vida real.

 Divulgaçãohttp://www.universohq.com/quadrinhos/2008/imagens/Baby-Blues_capa.jpg


Espero poder ter ajudado assim  como esta pesquisa me ajudou. Ter lido sobre o assunto e seguido alguns passos foi fundamental para a boa saúde emocional. Por isso, não deixe de se informar e converse sempre com alguém sobre seus anseios e dúvidas, tenho certeza que tudo será mais fácil e o Baby Blues não virará uma DPP ou algo mais grave.

[br_baby_blues_2008_03_27.jpg]